Pages

Saturday, August 23, 2008

Ode to a Nightingale

"A meretriz assistiu paralizada, o violinista descer a rua,
derretendo a fina camada de neve sob seus pés.
"



Ela, gentilmente, ajeitou-lhe a gola da camisa. Ele não dizia-lhe nada. Não a olhava nos olhos. E ela, certamente, era a única que não haveria de sentir-se grata por aquilo. Há horas não dizia nada. Mas, em fato, durante uma longa procissão de dias, não dissera mais do que o necessário. Detestava as pessoas em demasia, pensava Tessa. E ela acreditava, sinceramente, que ele sentia-se mais confortável em conversar com seu tabaco e suas doses de láudano diluído em Absinto. Mas, então, ocorreu-lhe que podia por fim àquele morrer de palavras em abismos de silêncio.
- Gosto do seu silêncio, Jack.- disse, colocando-lhe o chapéu.- É mesmo uma pena que te incomode o fato de que eu goste de algo em você.
E após dias, ele fitava-a agora, com os olhos regados de horror. Só por um segundo. Um breve longo segundo. Tão rápido e perfurante quanto as palavras que ela havia acabado de proferir. E foi-lhe suficiente. Suficiente para arrancar-lhe não só uma longa sentença, como uma conversação inteira.
- Pois bem, então. Vou contar-lhe uma história, para que assim não possa mais deleitar-se com meu silêncio.
Ela sorriu-lhe em resposta, discreta e sadicamente.
- É uma história do século passado. Sobre um violinista e uma meretriz.Passou-se em uma Praga clássica e decadente. - continuou, olhando-a novamente nos olhos, frio e austero.
Tessa gelou. Sentiu as pernas fraquejarem. Desfaleceu e caiu. Ele gentilmente, sem surpresa, segurou-lhe o braço puxando-a contra si, evitando que ela caisse.
Os olhos encontravam-se agora, a não mais do que insignificantes centímetros de distância.
As sobrancelhas de Jack pendiam sobre o olhos azuis-cálidos, franzindo-lhe a testa em um olhar gélido e inexorável. Enquanto os de Tessa enchiam-se como enche-se a maré, de água salgada, sob a lua cheia.

[...]





Este texto é protegido por direitos autorais, dos quais eu sou dona. A copia, total ou parcial, é terminantemente proibida, sendo considerada portanto, como crime passivo de multa!

7 comments:

Carol said...

Oi P.
Amei!!Esse pode ser o inicio de tudo...a partir daí pode-se encaixar a estória. bjsss
PS: Nao coloca + nada dela aqui. O restante nada de ir a publico. Só quando tiver tudo!!bjsss

Revin said...

Finalmente um novo post!
TAnto você como Layla escrevem pra caramba, e eu sempre fico sem saber como postar num nível tão alto...o_O

Acho que a melhor coisa que tenho a dizer é: ^-^...
UAhauHAUhAUh
Você me falou outro dia que não queria postar suas histórias por medo de plágio por parte dos outros. Mudança de idéia repentina, não?

Lay said...
This comment has been removed by the author.
Lay said...
This comment has been removed by the author.
Lay said...

Bem, adorei! (Como sempre ^^)
Acho realmente perfeito quando vejo-te escrever sobre o Jack. Descreve-o com tanto sentimento... Se permite-me dizer, acabo por pensar que o que tu não demonstra para as pessoas, revela em raras palavras. Certamente que você é a melhor escritora que eu já vira na minha vida, até agora. E também atriz, pois que não apenas veste-se, e sim incorpora o personagem assim como Mr. Sherlock Holmes.
Abraços.

Lay.

Vashsan said...

hahaha! estou postando um coment do meu DS... q fodaaaaaaaa!!!!!!!!!

Revin said...

Faça inveja vá...¬¬